terça-feira, 17 de março de 2009

Voltar atras



O medo apodera-se de mim
A solidão e a mentira
Como é possível tudo ser assim
Perco-me, imagino e sonho nesta vida.
Quero fugir
Quero recuperar anos de vida
Quero puder ser aquela criança
Que gostava de baloiçar
Que gostava de brincar, "cantar" divertir me muito facilmente,
Sem ter que recorrer a objectos mas sim
A pessoas.

Sinto que tudo se perde
Sinto que tudo o que se transforma
E se apodera de mim
E a parte em que pensava ser forte
Afinal já n existe
E a partir desse momento
Já nada existe.

1 comentário:

Isa Teixeira disse...

amo-te melhor amiga, prometes nunca o deixar de ser?